Tecnologia do Blogger.
RSS

Amor obsessivo

    Sou uma garota diferente... não sei o que é amor desde que minha mãe matou meu pai, porque ela achava que ele tinha uma amante (o que era mentira). Graças ao amor obsessivo que ela sentia por ele, depois de matá-lo, ela se matou. Mas pra mim tudo mudou quando conheci Lucca, meu atual namorado.
     Não consigo lhe dizer que o amo, porque ainda não sei o que é amar e tenho medo de acabar que nem minha mãe. Mas, às vezes, tenho depressão e me sinto muito mal; fico imaginando-o com outra garota, o que me deixa perturbada e com vontade de gritar de tanto ódio, porque não quero de forma alguma ser igual a minha mãe.
    Em uma noite eu estava passando pela rua, e estava chovendo muito, eu estava totalmente encharcada. Parei em frente à janela enorme de uma cafeteria, onde tinha uma cobertura e vi Lucca beijando outra garota. Meu coração não podia estar mais partido do que isso. Mas não vou entrar e brigar com ele. Não, vou fazer melhor. Uma vez com o coração partido, para sempre com ódio. Saí correndo em direção à minha casa, com lágrimas rolando por meu rosto e digitei uma mensagem para ele:
 – Me encontre amanhã na minha casa - Mandei
 – Tá bom. - Ele respondeu em seguida
    No dia seguinte, ele chegou na minha casa como se nada houvesse acontecido. E disse:
 – Oi, amor.
 – Você lembra quando eu disse que te amava? Então, esse amor acabou. - Dei um abraço nele. – Odeio traição.- E lhe dei uma facada no coração.

  Cerca de três anos depois eu estava no manicômio, no refeitório, e subi numa mesa cantando:
 – Mamãe, eu já estou indo... - E enfiei uma faca em meu coração.

AUTORAS: Clara Borges, Clarice Moreira e Millena Santos.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

0 comentários:

Postar um comentário